domingo, 8 de julho de 2007

NÓ!

Cada voz tua...que são mais de uma voz
Tão algoz e crua se faz em nós...nós que não desato
Um ato...o amor enlaço em teus sorrisos
Abraços!perdidos são eles...num descaso...
Meu vazio...
A mim dor que sou...prendido a sete chaves
Desnorteando...desnorteado...
Cego perdido...vedado ...
É dada a sentença...cabeças vão rolar
Enquanto isso palavras...vem tortas...e entortam
Desentortam sem nem notar...fazem ser delas herói...
Faz a minha, tua voz...nua e repleta de nós que não se deixam.


Danilo Cândido 2007.

3 comentários:

André Benjamim disse...

escreves uns textos interessantes... continua.

Abraço

Nobre Epígono disse...

=)

São textos mais que interessantes!

Abraço, Dan!

manias de ventania disse...

é cego,é cego,mas eu não jogo tudo isso no rio.o amor .