segunda-feira, 19 de maio de 2008

Pela ponte

ergo uma ponte
entre o ego e a canção
ponho os pés no chão farto, que passa
da água à gota em vapor
todo amor que se toma
vai da cama viva
ao pleno coma
até morrer, e renascer...
no meio
da ponte.
que se ergue em canção.

Danilo Cândido.

Um comentário:

Nobre Epígono disse...

Ergue-se em pontes, em egos ligados por canções...

... ah, o amor!