domingo, 2 de agosto de 2009

Olhos do mar

O poeta encantador,
O poeta da minimalidade enigmática e profunda
Transformador das coisas do mundo
Reinventor de palavras
Centrífuga d'idéias mil

Do teu intimismo poético para o meu...

...olhos do mar,letras do papel

Findo por onde nasce o novo,eu por ti,me envolvo na mais incompleta verdade
Só me resta ler e ler e ler...

2 de agosto de 2009.

2 comentários:

Nobre Epígono disse...

Não deixa de ser um bonito intimismo poético.



.

Arthur Dantas disse...

versos tão belos que são capazes de, mesmo não sendo, nos fazer sentir ser os olhos do mar. Sentia falta de sua poesia.