sábado, 12 de maio de 2007

Grilos!

Lá vem sonífero ao fim da noite
Lá vem o grilo a cricrilar
Vem de lá, de lá de longe...
Vem e se esconde...num realejo...
Vem de mim, que nem de onde sei...
Lá se foi e nem conta me dei
poetizando ando eu como sempre andei...
Enquanto os grilos lá do mato vêm
E se fazem mais deles em minha pobre mente...
Se fazem, desfazem, refazem...são eles...
Grilando, salteiam... cabeças?!as minhas...vagueiam.

© 2007 by Danilo Cândido

Um comentário:

Ila disse...

tengooooo, silêncio, simplesmente.