quinta-feira, 17 de janeiro de 2008

poemas.

Suponho poemas milimétricos
Perfeitos, digestos...
Que digam sob aforisma,
Que digam na cisma...

Que pasmem!

Consorcio almas
coleciono trechos ...
ponho em tudo, apetrechos...
eixos e deixas...
vou supor mais poemas...
e depois cair no sono.

Cândido, dan...

Um comentário:

Nobre Epígono disse...

Poemas como este são POEMAS! A métrica nem me interessa.

A cara de surpresa das pessoas ao lerem coisas belas como estas linhas em seu Mundo, são mais perfeitas ainda!

Literatura não-formal e delicada. É assim que se faz, né?! Né!

Um abraço enorme!

=]