sexta-feira, 4 de abril de 2008

A noite

Quero deter a noite, a noite inteira
Deixa-la mais tarde ainda
Tão tarde e longa que alongará o tempo
E tão somente o vento acompanhará
Quero deitar em cima,
Das estrelas dela,
Do imenso verso que é o céu
Universo, todo o seu infinito agora é reflexo
De toda uma vida...
Se ela não fosse, tão ela, como é...
De fato não sei se eu seria o mesmo.

Danilo Cândido. 2008.

Um comentário:

Mr. Ziggy disse...

Daniel, foi lindo demais você fazer a noite se confundir com a figura de uma mulher. Fiquei na dúvida se você fala de uma, de outra ou de ambas. Mas prefiro permanecer nela, pois foi o ponto que mais enriqueceu seus versos - ao meu ver. Você é fantástico!