sábado, 15 de março de 2008

Vão-Salomão (A poesia no poema, os dois num espaço(vão)... preenchidos por Waly.

As meias palavras inteiras ditam coisas que o mundo se esquece, a pureza caminha por vias e voltas e revolta o eu lírico
Sutileza voraz, eu enxergo...enxergo odes ao universo inteiro,
Vão-Salomão,
São canções versadas que convergem num poema visceral, pulmonar, cardíaco, etílico e real, mesmo o real sendo “coxo, capenga”...
“Algaravias de fato”...o ato em si é sublime e exprime um poeta

Sou ninho agora enquanto...sou vôo e canto pássaro...


Danilo Cândido.

3 comentários:

Keidy Lee Jones disse...

"As meias palavras inteiras ditam coisas que o mundo se esquece"...

Forte e nos faz pensar,

Beijo!

Nobre Epígono disse...

És um dos pássaros que leva a poesia por ai. Quiçá, discípulo do Salomão.

=]

Mr. Ziggy disse...

Gostei desse seu canto afinado e virtuoso... você canta bem!