sexta-feira, 3 de agosto de 2007

Surreal




Raízes e entranhas, parceiras dum abismo enterrado, no mais absorto infinito eu. Amortizando as opiniões, as inversões, as colisões...tudo é mental, surreal, somos real quando pensamos, apenas quando pensamos, do contrário somos apenas aquilo que se vê, entre um infeliz discurso e outro subjaz o fato, que antecede o ato e se faz real, e o que vemos real não é,o que pensamos sobre o que vemos, isso sim é real. Às vezes me canso de tanta coisa, que poderia sumir na fantasia para sempre, mas aí paro e penso melhor, a fantasia já estou vivendo, é a própria vida, a vida que vivo, e a que vivem por mim. Que tanta idéia me valha ao menos de consolo quando eu precisar ser consolado, ou de suporte pra eu suportar o insuportável. Eu neste mundo, sub...normal...num subsolo, bem lá embaixo da solidão e das minhas realidades proibidas.

Danilo Cândido.Escrito no dia 7 de junho e no dia 2 de agosto de 2007.

Um comentário:

Nobre Epígono disse...

Pra mim nós dois vivemos num conto de fadas.

[ entenda como quiser, caro leitor ]

[ caro dono do blog, eu sei o que você entendeu. ]

Tenho dito!
Abraço fortão!