terça-feira, 20 de fevereiro de 2007

QUINTESSÊNCIA

Sub-versiva-mente...os tempos me passam...
A mente convida...num ato de amor...a sermos um só
Um dígrafo...em concórdia...
Dois corpos agora são uno...
Em horas me deito...dos olhos me esqueço
São toques diretos...repletos...de olhos fechados
São línguas que falam...sem nem se falar
São rostos correndo tão juntos...sentindo
Dois templos formados...dois certos de amor...
Em suor...me desfaço...me vejo em procela...
Teu amor...sabor de amante...diamante...
De quem ama...nós dois consoantes...
Na tua magia, me faço um mago...
Depois em poema...me faço poeta...
Teus beijos, desejos...segredos de nós...
Eu sinto em certeza...teu corpo, um cristal...
Me sinto...em leveza...tão puro perfume...
Na pele talhada por minhas mãos...já suas...
Ao som sorridente e tranqüilo de uma canção...
Doutrinando os nossos sentidos...
O último suspiro...nos faz quase perfeitos...
Dois corpos...duas almas...mais um beijo...
Formam ela...em verdade...um auge...
A quinta-essência...do amor.

Copyright 2007 by Danilo Cândido Todos os direitos reservados ao autor

2 comentários:

Erick disse...

Nossa Senhora!

Alguma editora precisa expôr os trabalhos desse cara por aê afora!

Isso é sério! (risos)

x)

Abração, Dan!

izac disse...

Bem, eu tenho o privilegio de "conhecer" essa figura!!!!!
e eu ja tinha "escutado" algum comentario poetico,mais ñ sabia que ele fazia poemas(ou poesias)!!!!!!!!!!!!!
mais agora que sei vou visitar sempre o blogue pois, so pelo 1º poema você sente que o rapaz é muito bom no que faz!!!!!!!!!!
sim, e eu concordo plenamente como rapaz que postou que devem ser publicados!!!!!!!!!!
sim, parabens Danilo!!!!!!!!!!