segunda-feira, 26 de fevereiro de 2007

RACIONAL

Ao longe...tantos
Filosofia canto...
Enquanto o dia é pranto...
De agonia...
Palavreada dor...sabor que nego eu ter
Cabendo a mim não crer...não creio assim portanto
Enquanto rasgo o choro em lugar distante do meu neurônio falho
De ser alienado, de ser, saber pensante...
Não sendo a cada instante...
Quem eu devera ser.

Copyright © 2007 by Danilo Cândido Todos os direitos reservados ao autor

Um comentário:

Nobre Epígono disse...

Maravilhoso, rapaz!Qualquer poesia que faça, mostra o lado humano-amigo-amoroso!

(risos)

Estou sendo tão formal nestes comentários!Isso me surpreende. [mentira!]

Hahahahaha...

Um abração!