domingo, 9 de março de 2008

Das cores.




Quisera eu...um verso somente,
Do meu ar demente e indolor,
Ante as cores, do arco
Que leva ao outro lado,
E eleva,
A condição única,
E equivalente ao contrário de um silêncio.


Danilo Cândido 2008.

Um comentário:

Nobre Epígono disse...

Cores... Ah, cores!

Quisera eu ter essa facilidade em fazer poesia.
Eu não tenho, né?!

=P

Abraços, abraços!
=DDDD