sábado, 1 de setembro de 2007

ESTAS HORAS...

Estas horas, que desaproximam
São locuções temporais
Quase rimam
Ante o silêncio
Sei que não quero deitar antes de tê-la nos olhos
Como um grão de areia...
Entre os outros milhões
De grãos...
Cada noite é um fim...
Neste fim quero eu findar
Perto da tua voz
E certo do teu amor.

Danilo Cândido.

Um comentário:

Nobre Epígono disse...

Sem comentários... Ou melhor, com comentários.

Você escreve tão leve, leve e solto... Solto como uma águia que sai por esse céu tão bonito sem ter onde pousar...

Well...

Hugs!