quinta-feira, 28 de maio de 2009

Tempo.

o tempo todo

o todo
o tempo

silhueta das horas
salvaguarda do discurso perfeito
bem medido
mi-li-me-tra-do.

Todos os pontos
os pingos d'água caindo

o barulho do silêncio
assustadoramente tranquilo.

e daí, temos a medida anacrônica do tempo
a medida dos minutos,das horas...

desmedirei!

Sob as mãos que comportam os dedos
destes dedos que tecem palavras
safra de novos significados
re-medidos, re-sentidos...

abre-te
sob o crivo do poeta.


2009. Todos os direitos reservados.

3 comentários:

Arthur Dantas disse...

engraçado como o tempo pode ser tão pequeno e gigantesco ao mesmo tempo [rs]... seja uma vírgula, um segundo, 200 anos, um milesimo... é relativamente relativo...

Angelo A. P. Nascimento disse...

Que o tempo seja sempre nosso aliado.
Abraços

Nobre Epígono disse...

Sempre deixando o tempo se encarregar das coisas. Realmente, o tempo me surpreende.

Quando a gente acha que não tem mais jeito, tudo se resolve. Para melhor!

Abraços fortes!