terça-feira, 20 de março de 2007


“Contraversos”

Lídimo amor meu
Se perde de meus versos
Se vai pra onde achar repouso...
Enquanto dito...ditos poéticos

Sabor, não saboroso
sorriso de tanto chorar
sonolento de tanto dormir
boca seca de tanto calar...

Olhos cegos de tanto enxergar...
Enquanto enxergo sem nada nas vistas
Armadilha pra me libertar
Liberdade em letras fugidas


Solidão, minha companhia
a chegada é a triste partida
a verdade, a mais pura mentira...

Ilegítimo amor teu
Se encontra em meus versos
Se vai pra onde achar um pouso...

Contra tudo!Contra todos...

Meu poema controverso.


Copyright © 2007 by Danilo Cândido Todos os direitos reservados ao autor

Um comentário:

Nobre Epígono disse...

Olha, adorei a poesia. Mas o que mais chamou-me atenção foi a imagem da borboleta.

x)



*Hey! Divulgue mais seu blog, rapaz.

Abração!