quarta-feira, 14 de março de 2007

PSICODÉLICA - MENTE!



Dispersa mente...despeça-se deste...
Se faça em farsa, mas deixe...
Violando... violetas?!...nascem , ao som violado
Guitarrantes !Psicodeliamordamente!
Distinto, vestindo as minhas invenções...
Num manto sonoro em noites que prefiro não dormir
Quantos podem ser enquanto ouço e escrevo?!
Sejamos ser que somos nós, em tantos nós entrelaçados!
Enquanto nego, afirmo, o tempo é o mesmo, pra não dizer igual...
O amor, a mente, psicodélica - mente, é isso que estou...

Copyright © 2007 by Danilo Cândido Todos os direitos reservados ao autor

Um comentário:

Nobre Epígono disse...

Ahhhh!

Eu também uso esses trocadilhos. Estou aprendendo com seus poemas. Mas às vezes dá uma agonia!

HaiuHAIHAIUha... Não sei explicar ao certo. Ou sei sem saber que sei.

xP

Abração!