segunda-feira, 12 de março de 2007

VELHA INFÂNCIA



Velha infância perdida
Nos livros, nos contos
Nos breves encontros
Nas poucas palavras
Tão sábias quanto o silêncio
Tão inocentes
E a sós se pensa melhor
Para tantas lembranças
Mil poesias
De tudo se viveu
De tudo se morreu
E se nascer de novo, que nasça
Pra nostalgia infame que nos aguarda
Do velho perigo de outrora
Em boa hora a lembrança nos deixa
E da velha infância que renasce
A verdade absoluta de mim
Até que provem o contrário
Seremos criança
Somos infância, velha... Mas somos.

Copyright © 2006 by Danilo Cândido Todos os direitos reservados ao autor

Imagem de Rosa Niehues
Philadelphia-PA-USA
www.rosaniehues.com

2 comentários:

Nobre Epígono disse...

"Velha Infância"... Lembrou me aquela música dos Tribalistas. Passei meses ouvindo aquele cd, que no fundo, mostra o valor sentimental de uma criança em versos feitos por adultos.

Ligou o meu amor e amizade que tenho pela minha "irmã-por-parte-de-pai". E agora lendo esse seu poema, e vendo a imagem (que ainda não sei onde você consegue) senti saudades dela.

x)

Abração, e ótimo dia!

4-U-ALL disse...

Olá,gostei de ver a minha pintura no vosso Blog.Obrigada.Um Abraço,
Rosa Niehues
www.rosaniehues.com